Notícias

Nota de repúdio à censura e o cerceamento político

17.10.18 Notícias, São Paulo

A Fenametro, assim como o Sindicato dos Metroviários de São Paulo repudia veementemente as advertências por escrito para Wagner Fajardo, coordenador-geral do Sindicato, e Camila Lisboa, cipista eleita e diretora da Fenametro, por terem participado de conversas sobre a situação política no Brasil em setoriais nas áreas. Esta é uma demonstração de intolerância e contra o livre direito de expressão.

Em pleno momento de amplo debate na sociedade em função das eleições no País, o Metrô age em sentido contrário ao regime democrático e pune os trabalhadores que participaram das setoriais por realizarem um debate político com os funcionários. Querem nos calar: a empresa age com ingerência e prática antissindical ao intervir nas atividades que sempre foram saudáveis para o andamento da entidade sindical em defesa dos trabalhadores.

Veja também  Metroviários de São Paulo reelegem a atual diretoria

A Fenametro não aceita práticas antissindicais e contrárias as liberdades democráticas e exige a retirada imediata das punições.