Notícias

Ministério Público pede fim da concessão da Linha 5-Lilás

30.07.19 Notícias, São Paulo Tags:,

O Ministério Público Estadual de São Paulo pediu à Justiça o fim da concessão da Linha 5-Lilás e que o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, seja afastado do cargo por improbidade administrativa.

A medida do MP foi justificada pela situação financeira das empresas presentes no consórcio da Linha, envolvidas em escândalos de corrupção e em dívidas com o Estado.

Vencedora do leilão das Linhas 5-Lilás e 17-Ouro, a ViaMobilidade engloba o Grupo CCR e a Ruas Invest Participações, que tem a participação das empresas Andrade Gutierrez, em recuperação judicial, e o Grupo Ruas, cuja dívida com a União passa de R$ 2 bilhões.

A Fenametro e o Sindicato dos Metroviários de São Paulo fizeram diversas denúncias sobre o processo de privatização das Linha 5 e 17. A categoria metroviária havia denunciado que a provável vencedora do leilão das Linhas seria a CCR, já que o edital indicava diversos direcionamentos para atender aos interesses e características da empresa.

Veja também  Metroviários se mobilizam em dia internacional de luta contra a privatização

A ViaMobilidade assumiu a operação da Linha em agosto de 2018, num contrato que tem a duração de 20 anos.

As empresas também controlam a Linha 4-Amarela, através da ViaQuatro, junto a empresa Mitsui & Co.

Os metroviários tem feito diversas denúncias sobre a situação da Linha após o início da operação privada, com problemas que vão desde o treinamento precário dos funcionários até constantes interrupções da Linha.

A Fenametro segue contra a privatização dos Metrôs em todo país e na defesa de um metrô público, estatal e de qualidade.