Notícias

Sindicato realiza ato pela readmissão dos demitidos

13.06.16 Notícias, São Paulo Tags:, ,

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo realizou na quinta-feira, 9 de junho, um ato pela readmissão dos 42 trabalhadores arbitrariamente demitidos após a greve de 2014. Na data completaram-se dois anos da demissão. Dos metroviários demitidos 3 já foram reintegrados, e os demais ainda seguem na luta.

A atividade se iniciou com uma apresentação de Altino de Melo Prazeres Júnior, presidente do Sindicato, que relembrou as ações, assembléias e atos antes e durante a greve e a sua importancia. A greve da categoria durou 5 dias e ocorreu às vésperas da Copa do Mundo de 2014.

O advogado do Sindicato, César Lignelli, também recordou a luta da categoria e como a demissão dos grevista foi um atitude anti-sindical, inclusive condenada internacionalmente.

Presente no ato, o juiz Jorge Luiz Souto Maior reforçou a ilegalidade das demissões e afirmou que os metroviários furtados de sua dignidade, de seu emprego e tranquilidade. Souto Maior ainda disse que aqueles que realizaram esta medida ilegal deveriam ser submetidos a efeitos jurídicos, ações de dano moral, social e a categoria.

Veja também  Metroviários do DF suspendem greve

Representando a Fenametro, Solange Chaves, que também é uma das metroviárias demitidas da greve, criticou o quanto a sociedade culpabiliza os demitidos, e em especial as mulheres, que já encontram grandes dificuldades de se inserirem na política.

Pelas Centrais Sindicais estiveram presentes Ubiraci Dantas (Bira), pela CGTB, Luiz Carlos Prates (Mancha) pela CSP-Conlutas, Elsio, pela CUT, Flávio Godoy, pela CTB, Cabral, pela Unidos para Lutar e Diana Assunção, do Movimento nossa Classe.

Prestaram solidariedade aos demitidos Sebastião Neto, do Projeto “Memória da Oposição Sindical Metalúrgica, o deputado estadual Adriano Diogo (PT), Heber Fernandes da Silva, presidente do Sindicato dos Metroviários do Rio de Janeiro, Daniel Nascimento, presidente do Sindicato dos Metroviários do Piauí, Carlos Daniel Toni, ex-dirigente do Sindsef-SP e Cláudia, trabalhadora do Banco do Brasil.