Notícias

Manifesto em defesa de um sistema metroferroviário público, estatal e de qualidade rumo à tarifa zero

03.12.19 Destaques, Geral, Notícias

Os metrôs e ferrovias, assim como todas estatais, estão sob forte ataque do governo Bolsonaro e de governos estaduais.

Há um projeto privatista em curso que pretende entregar o patrimônio público aos grandes empresários e ao capital internacional. São diversas as empresas públicas destinadas para privatização como os Correios, a EBC, a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Casa da Moeda.

Foram anunciadas neste ano as privatizações da CBTU, Trensurb e do Metrô DF, que somadas às já existentes – do metrô do Rio de Janeiro, da SuperVia e de algumas linhas do metrô de São Paulo e da CPTM – aumentarão a precarização do trabalho, o sucateamento do sistema e substancialmente as tarifas.

Há uma ampliação dos ataques a classe trabalhadora no governo Bolsonaro, especialmente após a aprovação da Reforma da Previdência, da Reforma Trabalhista e da ampliação das terceirizações.

Por isso fazemos um chamado aos trabalhadores das empresas estatais e dos serviços públicos de São Paulo:

Veja também  Conquistas trabalhistas estão sob grave ameaça

Que em janeiro, com apoio das Centrais Sindicais, possamos realizar uma plenária das empresas estatais de São Paulo e dos serviços públicos, para organizarmos uma luta contra o projeto privatista de Bolsonaro e de Dória.

Reivindicamos:
– Fim de todas as privatizações, pela reestatização de todas empresas privatizadas como a Embraer, Vale do Rio Doce, o Metrô do Rio de Janeiro, a SuperVia, entre outras;
– A defesa das empresas estatais brasileiras e dos serviços públicos;
– A defesa da soberania nacional, contra a entrega do patrimônio nacional à empresas estrangeiras;
– A defesa de um sistema metroferroviário público, estatal e qualidade. Com tarifa social e rumo à tarifa zero;
– Pela revogação das reformas da previdência e trabalhista, pelo fim das terceirizações;
– Contra a MP 905 e a retirada de direitos;
– Repúdio ao governo Bolsonaro e as suas atitudes machistas, racistas e LGBTfóbicas.

São Paulo, 26 de novembro de 2019

Comitê Nacional Contra Privatização do Sistema Metroferroviário