Notícias

Protestos no Chile refletem insatisfação da população com projeto privatista

21.10.19 Internacional, Notícias

O Chile está tomado desde o último final de semana por manifestações massivas da população. Os protestos foram duramente reprimidos pelo governo e até o momento há 11 mortos e mais de 1500 pessoas detidas e feridas.

As manifestações se iniciaram como repúdio ao aumento da tarifa do metrô e logo se ampliaram para as várias insatisfações do povo chileno, que sofre com a desigualdade social, a política de privatização dos serviços públicos e de aposentadorias miseráveis.

O aumento foi de 800 para 830 pesos, uma diferença de R$ 0,16, indo de R$ 4,65 para R$ 4,81. Os protestos se intensificaram incluindo incendios prédios, estações de metrô e bancos.

Veja também  Direitos e lutas das mulheres são debatidos pela Fenametro

O governo colocou as Forças Armadas para reprimir os protestos e decretou toque de recolher, algo que não era visto desde a ditadura de Pinochet.

Os metroviários chilenos apoiaram as reivindicações dos manifestantes, repudiaram a força policial e fizeram um chamado para que o governo negocie.

A Fenametro apoia a luta do povo chileno! Toda solidariedade à população. Por um metrô público, estatal e de qualidade, e contra todas as privatizações!