Notícias

Reforma da Previdência aprovada na Comissão Especial da Câmara mantém ataque aos trabalhadores

05.07.19 Geral, Notícias Tags:,

A Comissão Especial da Câmara responsável pela Reforma da Previdência aprovou nesta quinta-feira, 4, o texto-base da Reforma da Previdência, que modifica alguns dos pontos apresentados pelo governo Bolsonaro (PSL) mas segue atacando os trabalhadores brasileiros. O texto segue agora para votação em Plenário.

A Reforma impõe uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria de homens e 62 para mulheres, 25 anos de contribuição no setor público, e 20 anos para homens e 15 para mulheres no setor privado.

Sabemos que estes números são impossíveis de atingir. Hoje, uma grande parcela da população está no trabalho informal e não contribui para previdência e também enfrenta períodos de desemprego, quando também não contribui. Além disso diversas regiões do país, como Norte e Nordeste e bairros periféricos das capitais, tem expectativa de vida inferior a 65 anos de idade.

Veja também  Em audiência pública em Belo Horizonte, metroviários denunciam privatização da CBTU

No parecer também há uma idade mínima para aposentadoria de professores, de 60 anos para homens e 57 para mulheres.

O governo e os empresários afirmam que se a Reforma não for aprovada o país irá quebrar. Essa é mais uma das diversas mentiras de Bolsonaro. A Reforma é baseada numa ideia equivocada de que existe um déficit na Previdência, e na perspectiva de retirada de direitos dos trabalhadores.

A Fenametro segue contra a Reforma da Previdência e estará junto a categoria metroferroviária nas ruas para derrotá-la.