Notícias

​Direção do Metrô tenta minimizar ocorrência grave de colisão e solta comunicado interno criticando o Sindicato

09.03.23 Notícias, São Paulo

Vale ressaltar que as entidades sindicais e CIPAS existem para fazer a defesa dos trabalhadores, de suas condições de trabalho, principalmente da saúde e segurança de todos.

É público e notório que o sistema implantado na L15 não é seguro o suficiente para operar sem Operadores de Trem, sem cabine e com a demanda da região nesse tipo de modal, que desde o início do projeto foi criticado por especialistas por não ser o sistema mais adequado para o perfil da localidade.


O histórico de ocorrências é grande e com falhas graves, que já demonstraram diversas vezes que fica natural os Metroviários trabalharem receosos com o que pode acontecer e os passageiros também ficam na dúvida de quão seguro é estar a 15 metros de altura podendo haver um acidente a qualquer momento.


As informações sobre as lacunas do sistema são fornecidos por quem entende a fundo, seja do funcionamento operacional ou da base técnica, inclusive de projetos, implantação, manutenção etc. A Cia tenta minimizar porque os governantes de SP sempre foram privatistas e fazem de tudo para entregarem patrimônio público à iniciativa privada, mantendo um link de interesses que envolvam os lucros de uma empresa​​ privada, mesmo que às custas do dinheiro público.

Veja também  Conheça um pouco a Legislação


A implantação de todo o sistema no monotrilho, desde o início é da Bombardier e posteriormente em parceria com a ALSTOM, que são as responsáveis pelas diversas falhas que já ocorreram. A manutenção é terceirizada e a equipe metroviária fica restrita nesse ponto, pois mesmo apontando os diversos problemas enquanto fiscalizam, o governo do estado sempre força o Metrô a blindar as empresas terceiras.


Vamos continuar defendendo os trabalhadores, os passageiros e denunciando qualquer tipo de insegurança, pois defendemos um Metrô público, estatal de qualidade e com tarifa zero.