Notícias

Diretor da Fenametro tem recurso administrativo negado e Metrô SP mantém sua demissão

25.01.22 Notícias, São Paulo

A Federação repudia atitude de intransigência e perseguição da Direção da empresa

Claudomiro Francisco Pego, conhecido pelos Metroferroviários do país como Poroza, tem longa história de lutas na categoria, inclusive um dos demitidos de 1988 que retornaram à época, esteve em diversas gestões da CIPA e mandatos de delegado sindical. E por lutar em defesa dos direitos dos trabalhadores foi perseguido politicamente.

Desde 2017, quando Poroza mudou de área, encontrou um supervisor “famoso” na oficina, bloco C1; com histórias de assédios, viu no dirigente da Fenametro um empecilho na área por ser um cipista defendendo melhores condições. Este supervisor, por onde passou perseguiu cipistas, inclusive em outros postos teve muito embate assediando os representantes da categoria.

De lá pra cá, diversos eventos envolvendo tal supervisor, que sem encontrar respaldo para suas atitudes, passou a reduzir notas de avaliação de desempenho.

Veja também  Metroviários não querem o Acordo Coletivo Especial

Poroza foi demitido no final do ano (2021), em pleno aniversário e véspera de Natal. A direção da empresa deixou a questão humana de lado ao fazer isso e, inclusive não mencionar motivação nenhuma para a demissão, não tendo nem a sensibilidade de permitir a adesão do nosso companheiro ao PDI.

A situação é totalmente arbitrária e injusta. A Federação repudia quaisquer perseguições e assédios morais com qualquer trabalhador, mais que isso, condena atitudes antissindicais e, portanto, se coloca à disposição do diretor Poroza e do sindicato dos Metroviários de SP para as medidas cabíveis e necessárias à reintegração.

Em meio ao cenário político que estamos vivendo, precisamos de toda unidade possível e a defesa de um trabalhador, representante da categoria, não deve ter esforços medidos, mas toda a garra necessária para alcançarmos esse objetivo comum.