Notícias

Metroviário sofre racismo e é demitido pelo Metrô de São Paulo

18.09.17 Notícias, São Paulo Tags:,

O Metrô de São Paulo demitiu nesta sexta-feira, 15 de setembro, um funcionário da estação Praça da Árvore, Valter Rocha, alegando agressão física a um usuário. Demitido sem direito de defesa, ele nega as acusações.

Valter é negro, e acredita que sua demissão é fruto de racismo da empresa. O metroviário denuncia há anos o racismo no Metrô, que chegou, inclusive, a lhe pressionar para cortar seu cabelo, já que usa dreads.

Esta é mais uma de uma série de demissões realizadas neste ano pelo Metrô. Em agosto, dois metroviários, Allan e Heitor, foram demitidos após participarem de uma mobilização de retirada de uniformes, decidida em assembleia pela categoria. Ambos estavam em período de treinamento.

No início de setembro, outro metroviário, Tarcísio Resende, foi demitido após ter sido testemunha em um processo de equiparação de um colega de trabalho. A Fenametro se coloca contra esta política de demissões do metrô, e exige a imediata readmissão dos metroviários.

Veja também  SP: Uma das maiores greves dos últimos anos

Prática de demissões é antiga

A prática de demissões política não é nova, e por isso a categoria segue em luta pela reintegração dos companheiros demitidos por participarem de diversas mobilizações e greves da categoria, como no Rio de Janeiro, em 2007, e em São Paulo em 2007 e 2014.

A luta pela reintegração dos companheiros demitidos é parte da luta contra a criminalização do movimento sindical, que inclui a denúncia de diversas práticas antissindicais e a judicialização das greves da categoria.