Notícias

Metroviários reivindicam suspensão da privatização da Linha 15-Prata do monotrilho

24.10.19 Notícias, São Paulo

Privatizada em março deste ano, a Linha 15-Prata do monotrilho de São Paulo, ainda não está sob gestão da iniciativa privada. Seu leilão foi vencido pela CCR, empresa que está envolvida em diversos casos de corrupção.

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo se reuniu nesta segunda-feira, 21, com o Secretario de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy de Sant’Anna Braga e reivindicouu a suspensão do processo de privatização da linha, uma vez que o contrato com a CCR ainda não foi assinado.

Em julho deste ano, o Ministério Público de São Paulo (MPSP), instaurou um inquérito civil para apurar denúncias a respeito de sua vulnerabilidade e segurança, dados o grande número de acidentes registrados.

Veja também  Acordo Coletivo da CBTU tem mais uma rodada de discussão

Preocupados com a segurança, os metroviários questionaram o Secretário sobre a informação de que não haverá operador de trem no monotrilho, o que causa grande preocupação. Baldy colocou que esta é uma decisão técnica do Metrô, tirando a responsabilidade da Secretaria sobre a ação.

A retirada dos operadores seria mais um enorme risco, e a categoria tem denunciado que o monotrilho já opera com rebaixamento dos padrões de seguranças utilizados pelo Metrô, falta de funcionários e treinamento, e que apenas em 2019 ocorreram 2 acidentes graves.

A Fenametro segue contra a privatização do Metrô e denuncia os perigos da operação do monotrilho ter sido destinada a iniciativa privada.