Notícias

Greve do Metrô de MG exige revogação de leilão e garantia do trabalho dos metroviários

15.02.23 Destaques, Minas Gerais, Notícias

Categoria está em greve desde o dia 14 e quer abertura de negociação com governo federal

Por Ana Carolina Andrade

A luta dos metroferroviários de Minas Gerais em defesa de um transporte público e de qualidade e pela manutenção dos direitos da categoria continua. Os metroferroviários de Minas Gerais estão em greve desde às 00h do dia 14 de fevereiro.

O movimento acontece pois a CBTU-BH está em processo final de privatização e sua administração deve ser entregue para a empresa Comporte, vencedora do leilão realizado em dezembro. A privatização significa que, além da precarização do serviço, é provável que sejam demitidos cerca de 1.600 trabalhadores. 

O Sindimetro-MG e a Fenametro travaram muitas lutas para barrar este processo, construindo diversas ações e manifestações contrárias à privatização. O ano de 2022, em especial, foi marcado pela luta contra a privatização da CBTU-BH. 

Nas últimas semanas, as entidades se dedicaram a uma série de negociações na tentativa de revogar o leilão que privatizou a empresa, além de garantir a manutenção dos postos de trabalho dos metroferroviários em outras unidades do serviço público federal.

CBTU comete práticas antissindicais

Veja também  Em São Paulo, metroviários vencem processo mas não são readmitidos

O Sindimetro-MG mobilizou a categoria e dialogou com a população para construir a greve, e a CBTU-BH cometeu uma série de práticas antissindicais para interferir e desmobilizar o movimento. 

A categoria fez denúncias de que a empresa teria retirado diversos cartazes colocados pelo Sindicato convocando a greve, além de oferecer folgas e abonos para aqueles que “furassem” a greve. Condenamos esta tentativa de impedir a livre organização dos trabalhadores, que reivindicam seus direitos e organizam a luta contra a precarização do serviço oferecido à população e em defesa dos seus trabalhos.

A luta continua!

A greve dos metroferroviários segue e exige que seja aberta uma negociação com o governo federal. “Somos uma categoria de luta e de resistência, queremos uma resposta e não vamos aceitar menos. Fizemos concurso público e entramos pela porta da frente, por isso o nosso pleito é pela abertura da mesa de negociação com o governo federal e a CBTU”, afirmou Alda Lúcia Fernandes dos Santos, presidente da Fenametro. A categoria luta pela revogação do leilão da CBTU-BH e pela garantia dos trabalhos dos metroferroviários de MG!

A Fenametro apoia a greve dos metroferroviários de MG e está com a categoria nesta luta.